Seja bem-vindo
Estância,21/07/2024

  • A +
  • A -

George Santos, brasileiro expulso do Congresso dos EUA, abre perfil no OnlyFans

g1.globo.com
George Santos, brasileiro expulso do Congresso dos EUA, abre perfil no OnlyFans


Ex-deputado norte-americano, que teve mandato cassado, é investigado, entre outros pontos, por usar dinheiro de campanha no site de conteúdo adulto. Ele ainda responde na Justiça pelas acusações. George Santos, deputado dos EUA de origem brasileira, em 27 de outubro de 2023.
Eduardo Munoz/Reuters
O ex-deputado dos Estados Unidos George Santos, o filho de brasileiros que foi expulso do Congresso norte-americano, anunciou nesta quarta-feira (19) que abril um perfil no site de conteúdo adulto OnlyFans.
✅ Clique aqui para seguir o canal de notícias internacionais do g1 no WhatsApp
Em uma publicação nas redes sociais, Santos, que teve o mandato cassado por denúncias de uso indevido de dinheiro de campanha, disse que seu perfil exibirá "acesso total por trás das câmeras de tudo que eu estou trabalhando".
Santos foi o quinto deputado da história dos Estados Unidos a ser expulso do Congresso do país.
Initial plugin text
Em outra postagem feita minutos depois, o ex-deputado alegou que abriu o perfil "apenas para agitar as coisas", e que não postará conteúdo adulto.
Segundo uma investigação do Comitê de Ética da Câmara dos EUA, que culminou em sua expulsão da Casa, Santos usou parte dos cerca de R$ 20 mil de dinheiro de campanha para comprar conteúdos no OnlyFans. O dinheiro também foi destinado a compras em lojas de varejo e maquiagem.
Santos, eleito deputado nos Estados Unidos pelo Partido Republicano em 2022, foi expulso do Congresso dos EUA no ano passado após uma votação interna. Ele ainda responde na Justiça norte-americana por uma série de irregularidades, desde mentir sobre seu currículo a uso ilegal de dinheiro de campanha (leia mais abaixo). Ele nega as acusações.
Nova candidatura, drag queen e vídeos personalizados
George Santos volta a aparecer como Kitara Ravache
Em março, Santos anunciou que concorreria novamente ao mesmo cargo do qual foi destituído, nas eleições dos EUA em novembro de 2024, apesar de ter dito que nunca voltaria à Casa quando foi expulso.
"Por que eu iria querer ficar aqui? Que este lugar vá para o inferno", disse a jornalistas, na ocasião.
Pela Legislação norte-americana, ele pode concorrer novamente ao cargo. E, como o país não tem uma lei similar a da Ficha Limpa no Brasil, o filho de brasileiros pode se candidatar mesmo que seja réu de um processo na Justiça -- como acontece com o ex-presidente dos EUA e atual pré-candidato à presidência Donald Trump.
Após ser expulso, ele começou a vender mensagens personalizadas pela internet. E, em maio, em um desses vídeos, voltou a se vestir como drag queen -- segundo amigos e conhecidos, quando vivia em Niterói, no Rio de Janeiro, ele costumava se apresentar vestido de drag queen.
O ex-deputado, que se elegeu com uma bandeira conservadora e pautas anti-LGBTQIA+, negava e havia dito que apenas já se vestiu de mulher de brincadeira.
"Aqui é Kitara, sua favorita, depois de 18 anos no armário. George Santos me trouxe de volta", disse o ex-deputado como a personagem no vídeo.
As acusações
Após ser cassado, George Santos vende vídeos personalizados na internet
As suspeitas de irregularidades cometidas por George Santos surgiram logo após sua eleição, em 2022, quando ele surgiu no cenário político como o primeiro republicano abertamente gay eleito para o Congresso dos EUA.
Entre as acusações de irregularidades às que George Santos reponde na Justiça, estão as de:
Utilizar dinheiro de doações em cirurgias com técnicas de botox e no site pornográfico Onlyfans;
Fraude com cartões de crédito;
Roubo de identidade;
Receber seguro-desemprego ao qual não tinha direito durante a pandemia do coronavírus, antes de sua eleição.
Após uma investigação da Promotoria de Nova York, ele foi denunciado à Justiça.
Atualmente, Santos responde a sete acusações de fraude para contribuição em campanha, três de lavagem de dinheiro, uma acusação de roubo de fundos públicos e outras duas por fazer declarações falsas à Câmara dos Deputados.
A expulsão
Em sessão no início de dezembro para decidir sobre a cassação de Santos, 311 deputados votaram a favor de expulsar o republicano -- 24 a mais do número mínimo necessário -- e 114 contra. Um fator determinante para a expulsão de Santos foi a quantidade de votos de deputados do próprio partido de Santos favoráveis à sua expulsão.
Parte dos republicanos que o apoiavam mudou de posição após a divulgação de um relatório que apontou diversas irregularidades e crimes financeiros nos quais ele está envolvido.
Duas semanas antes da votação, um relatório dos legisladores republicanos e democratas membros do Comitê de Ética da Câmara encontrou "enormes evidências" de má conduta por parte de Santos e alegou que ele havia "tentado explorar de maneira fraudulenta todos os aspectos de sua candidatura à Câmara para seu próprio benefício financeiro".




COMENTÁRIOS

Buscar

Alterar Local

Anuncie Aqui

Escolha abaixo onde deseja anunciar.

Efetue o Login

Recuperar Senha

Baixe o Nosso Aplicativo!

Tenha todas as novidades na palma da sua mão.