Política suja: Vale tudo para não perder o emprego?

Com um período curto para se debater projetos, propostas e soluções para o rumo do município, as redes sociais tem se tornado uma ferramenta importantíssima para a propagação dos ideais, imagens e  plataformas de governo , no entanto, da mesma forma que a ferramenta ajuda aos políticos e seus subordinados a tentar conquistar o eleitorado, as redes sociais também mostram seu lado sombrio da falta de escrúpulos daqueles que a qualquer custo tentam se manter no poder e atacam seus oponentes de todas as formas, éticas ou não.

Em Estância, distante 68 Km da capital, uma das cinco cidades com maior densidade eleitoral de Sergipe, não é difícil encontrar nas redes sociais ataques pessoais, agressões verbais, calúnias e difamações contra grupos políticos. Em alguns casos, os ataques partem, justamente, de servidores públicos contratados, pagos com dinheiro do contribuinte, e que em muitos casos deixam de responder a contento suas obrigações públicas, mas não perdem uma oportunidade de atacar a qualquer custo o opositor para tentar manter seu projeto político “pessoal” na ativa.

Nos últimos dias,  após veiculação de uma pesquisa registrada no TRE –SE,  os ataques  foram intensificados.

Em um dos casos, um assessor de comunicação, lotado na secretaria de saúde do município fez uma postagem no mínimo desrespeitosa contra um dos candidatos que disputa o pleito. Fazendo uma montagem com a foto do prefeiturável, o assessor fez insinuações que não condizem com a sua função pública.

Ao mesmo tempo em que defende a unhas e dentes seu emprego, o mesmo assessor que ataca foge das respostas técnicas quando é procurado.

No dia 31 de agosto, a redação do “DS” procurou o assessor para esclarecer dúvidas a cerca da falta d’água em postos de saúde do município. No dia 5 de setembro o servidor contratado foi questionado sobre o pagamento dos trabalhadores e a falta de seringas em uma unidade no Bairro Bomfim; e na tarde de ontem, quinta, 08, mais uma vez o assessor, que é pago para responder em nome da secretaria de saúde,  foi procurado  através do whatsapp para contrapor as mesmas perguntas feitas no dia 5, no entanto, nas três tentativas o trabalhador não se pronunciou.

A falta de informações por parte de assessores de comunicação de Estância tem se tornado  constante no município e a população que paga os salários destes trabalhadores continuam, mês a mês, sem as respostas que tanto almejam.

Enquanto isso, nas redes sociais, os comissionados continuam seus ataques e buscam a todo custo à renovação dos seus contratos para mais uma temporada sem resposta ao povo.

Por: Pisca Jr – Júnior Alves




CLOSE
CLOSE
Últimas notícias