Reforma: Saiba como os senadores sergipanos votaram

O texto-base da Reforma Trabalhista foi aprovado pelo Senado Federal na noite desta terça-feira, 11. Foram 50 votos favoráveis e 26 contrários.  Os senadores Eduardo Amorim (PSDB) e Valadares Filho (PSB) votaram contra a Reforma Trabalhista. Já a senadora Maria do Carmo (DEM) não compareceu a votação. A matéria segue agora para a sanção do presidente da República, Michel Temer.

Pelo twitter, Valadares comentou: “Reforma trabalhista: resultado 50 votos favoráveis e 26 contrários. A reforma foi aprovada, mas não contou com o meu voto!”.

Já Amorim disse: “O meu voto é da coerência, não é justo que o trabalhador pague por todas essas mazelas. O trabalhador não é o culpado”. E logo depois reafirmou seu voto: “Não à reforma trabalhista”. 

A votação ocorreu depois de, por quase sete horas, senadoras de oposição terem ocupado a Mesa do Plenário e, com isso, impedido o início dos trabalhos. Durante toda a tarde, parlamentares negociaram a retomada da votação, mas não houve acordo e a sessão foi reaberta pelo presidente do Sendo, Eunício Oliveira, pouco depois das 18h30, mesmo com as senadoras ainda na Mesa.

Texto

A proposta de reforma trabalhista prevê, além da supremacia do negociado sobre o legislado, o fim da assistência obrigatória do sindicato na extinção e na homologação do contrato de trabalho. Além disso, acaba com a contribuição sindical obrigatória de um dia de salário dos trabalhadores. Há também mudanças nas férias, que poderão ser parceladas em até três vezes no ano,  além de novas regras para o trabalho remoto, também conhecido como home office. Para o patrão que não registrar o empregado, a multa foi elevada e pode chegar a R$ 3 mil. Atualmente, a multa é de um salário-mínimo regional.

Por Verlane Estácio – Infonet
Com informações da Agência Brasil e da Agência Senado


Últimas notícias